Manifestações oculares da AIDS

Leonie Watson contou que perdeu a visão em um período de apenas 12 meses (Foto: Arquivo Pessoal de Leonie Watson)
‘Negligenciei a diabetes e fiquei cega por minha própria culpa’
30 de novembro de 2015
Informativo Trimestral HOA
HOA lança informativo trimestral – confira a primeira edição
24 de dezembro de 2015

Manifestações oculares da AIDS

aids-202x300Saiba mais:

Aproximadamente 75% dos pacientes que apresentam AIDS desenvolvem manifestações oculares cuja prevalência aumenta com a duração da doença.

Tumores oculares/cânceres:

O sarcoma de Kaposi é o mais frequente, presente em 25% dos pacientes com a forma sistêmica. O citomegalovírus é o menos frequente (1/3 dos pacientes), e tem características devastadoras, podendo evoluir em grande parte dos casos para a cegueira. O herpes pode ocasionar lesões palpebrais, conjuntivite, ceratite ou infecção retiniana. Toxoplasmose ocular é frequente e deve ser avaliado se há comprometimento cerebral. Pode haver infecções por fungos (candida albicans e criptococose), principalmente paralisias de nervos cranianos, defeitos de campo visual, alucinações e edema de nervo óptico. O que deve se levar em conta é o fato de que todo paciente soropositivo é um indivíduo com baixa imunidade e portanto propenso a qualquer tipo de infecções, e, também, propenso a tumores.

Existe hoje, com o advento da terapia moderna (coquetéis antivirais, etc), uma tendência de que as repercussões oculares sejam mais representadas por tumores, pois os pacientes apresentam uma sobrevida maior e as infecções podem ser facilmente controladas.

1º de Dezembro – Dia mundial da luta contra a AIDS

Deixe uma resposta